Chove chuva, mas nem tanto

Hoje aqui em São Paulo choveu o suficiente para foder com a cidade inteira. Saí tarde do serviço, em um horário que geralmente não tem muito trânsito, e me ferrei. Todas as ruas lotadas, motoristas que passam a dirigir pior, e no fim demorei mais do que o dobro do tempo que eu levo em um dia normal para chegar em casa.

“Ah, mas você mora em São Paulo, já devia estar acostumado”. Devia mesmo? Qualquer chuvinha que dá e a cidade bate recordes de congestionamento. Não adianta falar que a chuva foi forte blábláblá etc, isso não é mais desculpa. São sempre os mesmos lugares que alagam, e consequentemente sempre as mesmas vias que congestionam. Todo mundo sabe onde está o problema. O que falta é um mínimo de vontade para acabar com essa palhaçada. Acabar com a chuva não dá, mas arrumar a cidade sim. As soluções são discutidas incansavelmente em toda eleição, mas como sempre nada muda.

A chuva dessa cidade é tão desgraçada que gosta até de ser irônica. Não faz muito tempo, um lago secou por causa da chuva! Só falta a chuva causar algum incêndio ou explosão, aí sim não faltaria mais nada.

Outra ironia é que mesmo com tanta água caindo do céu, o nível das represas sempre cai. Nunca vemos notícias dizendo que os reservatórios estão mais cheios, com 100% da capacidade etc e tal. Para onde vai toda a água da chuva?

A única coisa boa da chuva é que dá uma limpada no carro, assim posso adiar a próxima lavagem e economizar uns trocados.